segunda-feira, 21 de março de 2011

"Eu executo uma tarefa horrível"


Tentar viver o que devia ser o auge, rodeado por coisas que puxam, enroscam o tecido, como um fio puxado.
No meio das coisas de todo dia , pequenos  lugares, cheiros, gostos , uma diversidade incalculável de lembranças.

Levam a alma para um lugar no espaço, uma mistura do futuro prematuramente abortado e do passado. Um devaneio interminável.
Absolutamente terno.
Tão terno que ao retornar, a realidade é agora amarga e fria.
Brutalmente diferente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget